Champions League feminina: veja tudo sobre o campeonato de futebol

É verdade que grandes jogadores trouxeram à tona o verdadeiro futebol. Futebol ao vivo hoje é se divertir e vibrar com cada lance. Essa sensação que os grandes clubes europeus e os grandes clubes brasileiros conseguem passar é algo extremamente valioso para os torcedores, não é atoa que os estádios podem ficar lotados para certa partida.

No entanto, muita gente acaba esquecendo o futebol feminino. A questão é que esse ainda não é tão desenvolvido quanto o masculino, ou seja, seu alcance é muito menor. Para se ter uma noção desse fato, basta pensar que a não muito tempo o brasileirão, até mesmo as maiores equipes, não possuíam equipes femininas. 

Porém, o quadro tem mudado e a cada dia podemos ver mais a interação de mulheres no futebol. O talento das jogadoras é algo que conta bastante para a popularização do esporte, sendo assim, vamos onde o futebol é mais desenvolvido, vamos à Europa!

Um pouco sobre a história da Liga dos Campeões Feminina

Como foi dito, há uma diferença histórica entre o campeonato feminino e o masculino. O primeiro é também o mais claro. O feminino foi iniciado apenas em 2001-02, a UEFA masculina começou em meados da década de 50. Isso sem considerar a presença da Liga Européia, que já acontecia de outras maneiras.

Liga feminina de futebol

Por esse e outros motivos é também chamada de Copa Feminina da Europa, já que não existe outra competição com regras e acontecimentos semelhantes no continente. Isso é bem diferente do futebol masculino que conta com a Liga dos Campeões, Liga Europa e Liga da Conferência.

Uma curiosidade que pode chamar atenção é que o evento foi iniciado em 2001 e a primeiro momento contava apenas com oito equipes que competiam entre si em forma de eliminatórias. Com isso já deu para perceber a diferença entre as duas modalidades.

A estrutura é parecida?

Com relação a estrutura do campeonato com certeza existem diversas semelhanças. No geral, são 16 equipes que se dividem em 4 grupos com 4 cada. Sim! Há também jogos fora de casa e em casa. 

Assim, dentro dessa lógica, os dois primeiros colocados de cada grupo conseguem a vaga para prosseguir. Na fase de mata-mata, onde acontecem as quartas de final, semifinal pode acontecer a variação de jogos entre fora e em casa. No entanto, é fundamental que esteja em um local neutro.

A partir desse momento o desempenho das jogadores é fundamental, já que cada uma das equipes podem escolher caminhos diferentes. Lembrando também que as classificações das equipes antes de começar o campeonato é decidida com o seu nível de desempenho nos respectivos países. Basicamente, os países com os campeonatos mais fortes conseguem mais vagas na UEFA feminina.

Melhores jogadoras da UEFA

E então, que tal dar uma pequena olhada em três importantes jogadoras do momento e como elas conseguem chegar a níveis tão altos mesmo com menos tempo de futebol feminino no mercado?

Essa seleção resume as três melhores, mas há várias outras que se destacam!

Lieke Martens

Nascida em 16 de dezembro de 1992, essa jogadora incrível já consegue uma atuação extraordinária. A holandesa joga no Barcelona e também na seleção holandesa de futebol feminino. Atua como ponta esquerda e meia. 

Em 2017 foi ela quem recebeu o prêmio de melhor jogadora do mundo pela FIFA. Feito que com certeza ficou marcado na sua vida!

Pernille Harder

Outra jogadora que não poderia faltar nessa lista. Harder nasceu em 1992 também, em 15 de novembro. Atualmente é considerada a jogadora mais cara do mundo. Sua atuação na Super League Feminina da Inglaterra e também no Chelsea chamam muita atenção. 

Em 2018 e 2020 ela foi considerada a jogadora do ano pela UEFA. Isso com certeza tem um peso enorme quando tratamos do histórico da mesma.

Ada Hegerberg

Existem muitos fatores que constroem a história das jogadoras, com certeza os títulos são fundamentais. Ada é norueguesa e atua como atacante pelo Olympique Lyonnais. Foi artilheira da Liga dos Campeões entre os anos de 2015 e 2016, conseguindo conquistar o prêmio da UEFA como melhor futebolista feminina.

Em 2018, no dia 3 de dezembro, também conseguiu um título histórico. Ela é a primeira vencedora da Bola de Ouro Feminina!

Leave a Comment